“O que você vai fazer na casa de Deus?”
14 de janeiro de 2020
“Deus cuidou de José, cuida de mim e cuida de você…”
17 de janeiro de 2020

“Vinde a mim, disse Jesus!”

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mateus 11: 28-30)

O cansaço faz parte da vida de todos, seja ele físico, mental, emocional e até espiritual. O trabalho, os estudos, os relacionamentos e tantas outras coisas nos trazem cansaço tão grande que, por vezes, nos sentimos quase exauridos.

Jesus está escrevendo para pessoas que, além do peso da vida, recebiam da liderança religiosa cargas pesadas a serem cumpridas. Em Mateus 23.4, Jesus disse: “Atam fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los”.

A verdade é que todo cansaço é resultado do pecado. Por isso, Jesus chama estes que estão se sentindo cansados e sobrecarregados com o peso da vida a virem até ele, porque só ele pode aliviar essa carga que traz sofrimento. Quando sentimos um peso, queremos vê-lo retirado. Jesus, porém, não diz que vai simplesmente tirar a carga, mas que ela deve ser substituída. Tira-se o peso do pecado e toma-se uma carga que Cristo chama de Sua.

Somos chamados a tomar o jugo de Cristo e aprender dele. Quando buscamos aprender de Cristo, temos um mestre que é “manso e humilde de coração”. Isto quer dizer que ele tem paciência conosco e com nossa lentidão em aprender. Como ele é conosco, também devemos ser com nossos irmãos.

Mansidão e humildade são, de fato, qualidades das quais o mundo moderno carece. Talvez boa parte da sobrecarga que se sinta seja devida exatamente à falta que temos dessa mansidão que leva a ter paciência com as falhas, a amar incondicionalmente, a auxiliar os que sofrem, a perdoar as faltas; e humildade para ouvir e considerar as exortações sem melindres. Cristo diz que se tomarmos o seu julgo e aprendermos dele acharemos descanso para alma. Ele termina, então, dizendo que isto se dará porque o seu jugo é suave e o seu fardo é leve.

É interessante notar que quando nos dispomos a servir a Cristo, por vezes somos tentados a perguntar onde é que está o fardo leve. Paulo disse que “todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” (II Timóteo 3.12).

É interessante notar que é quando se dispõe a servir a Cristo com dedicação e a fazer a obra com fidelidade que ocorrem as maiores dificuldades; não foi assim com o próprio Apóstolo Paulo? As injustiças e oposições vêm de onde não se espera. Aqueles que deveriam estar nos apoiando, por declararem servirem a Cristo, muitas vezes são os maiores opositores. É triste ver a oposição vindo exatamente de onde se esperava o contrário e, assim, somos tentados a nos perguntar se é mesmo leve este fardo. Mas a resposta é sim, o fardo é leve porque o grande peso, que são os nossos pecados, já foram carregados por Jesus.

Aquilo que fazemos nesta vida, por maior que seja a dificuldade, não pode ser comparado àquilo que Cristo sofreu e fez por nós. Além disso, os resultados daquilo que nós fazemos em nome de Cristo são sempre grandiosos e significativos porque glorificam a Deus. São coisas que Deus usa para Glória do nome dele para transformação de vidas. Quando estivermos diante de Deus no juízo, constataremos quão leve é o fardo de Cristo, pois veremos a misericórdia, a graça, o amor de Deus sendo manifestos de forma grandiosa, recebendo pessoas indignas, pecadoras como nós somos, diante da Sua presença pelos méritos de Cristo Jesus.

Não nos deixemos cair na tentação de olhar para as dificuldades, aflições e lutas da vida e deixar que elas nos levem a pensar que o fardo de Cristo não é leve, que há um caminho melhor ou uma forma melhor de se viver. Não há melhor caminho do que estar servindo ao Senhor. Que Deus nos abençoe.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Welerson Alves Duarte (Presidente Geral da IPCB e Pastor na IPC de São Bernardo do Campo – SP)