“Uma oração e dois sábios pedidos para o Natal”

“Longanimidade evidenciada em mim pecador!”
19 de dezembro de 2019
Natal é o amor de Deus!
21 de dezembro de 2019

“Uma oração e dois sábios pedidos para o Natal”

Chegamos a mais um final de ano e com ele a mais um natal. Cidades enfeitadas, casas decoradas, pessoas empolgadas, ansiosas e cheias de sonhos e desejos. É assim que a maioria de nós ficamos todos os anos com a chegada das grandes festas.

Contudo, permita-me fazer duas perguntas: Qual é o seu grande desejo para esse final de ano? Qual ou quais são os pedidos que você já fez ou planeja fazer a Deus nesse natal?

Ao me fazer essas próprias perguntas, me recordei das palavras de Agur, o sábio do livro de Provérbios, que orou a Deus fazendo dois pedidos. Preste atenção nisso: “Duas coisas peço que me dês antes que eu morra: Mantém longe de mim a falsidade e a mentira; não me dês nem pobreza nem riqueza; dá-me apenas o alimento necessário” (Provérbios 30.7–9)

Quão confrontadoras e desafiadoras são, para nós, essas sábias palavras. Em especial nesta época do ano em que o desejo por abundância e materialismo se acentua em nossos corações e mentes.

Certamente, muitas coisas faziam parte da lista de desejos do coração de Agur; porém, em uma oração, ele faz dois pedidos a Deus:

– Primeiro pedido: “Mantém longe de mim a falsidade e a mentira”. Agur desejava uma vida íntegra e piedosa, livre das pessoas que promoviam a corrupção e disseminavam a mentira e a falsidade. Seu desejo e sua primeira petição eram, apenas, para que Deus o ajudasse a ser uma fonte da verdade. Por ventura, estaria esse pedido também dentro dos seus?

– Segundo pedido: “Não me dês nem pobreza nem riqueza; dá-me apenas o alimento necessário”. Que loucura é esse pedido de Agur para o mundo atual! Como alguém pode não desejar a riqueza vivendo em mundo capitalista? Eu não disse que as palavras de Agur eram desafiadoras e que elas nos confrontam?!

Percebeu qual era o maior desejo de Agur? Ele não queria nem muito e nem pouco – apenas o necessário. Não queria pouco para não ser tentado a se tornar blasfemo contra Deus; ao mesmo tempo, não queria muito para que não fosse tentado a deixar de olhar para o Senhor como o provedor das suas necessidades diárias. Então, como um verdadeiro sábio, ele pele a Deus: “Dá-me apenas o alimento necessário!”

Agur desejava uma vida equilibrada. Ele ansiava por uma vida moderada – sem as privações negativas da pobreza e sem os perigosos excessos das riquezas.

Assim, o sábio Agur nos deixou o precioso ensinamento de que devemos desejar uma vida moderada – na dependência do Senhor. Ele nos ensina através da Sabedoria, uma boa oração para fazermos não apenas neste natal, mas por toda a nossa vida. Que o Senhor, nosso Deus, nos ajude a vivermos com Agur para Sua honra e glória. Amém!

Desejo a você e a toda a sua família um feliz natal e um abençoado ano vindouro!

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Roney Pascoto (Pastor na IPC de Limeira – SP)