“Casa limpa”
29 de outubro de 2019
“Uma Igreja em boa ordem cultua com ordem e decência” (1ª Coríntios 14.40) (Parte 2)
30 de outubro de 2019

Somente as Escrituras”

No dia 31 de outubro de 1517 Martinho Lutero afixou na porta da Catedral de Wittenberg as 95 teses contra as indulgências praticadas pela Igreja Católica Romana. Ocorreu nesse momento da história uma libertação que progressivamente alcançou quase toda a Europa e até hoje tem alcançado nações e libertados escravos da ignorância. A Bíblia foi disponibilizada para o povo através da imprensa e as pessoas começaram a conhecer a verdade.

Os Reformados tiveram que estabelecer biblicamente cinco pilares para a Igreja, para combater as heresias ensinadas durante a Idade Média. Esses pilares são conhecidos como os “5 Solas”, em latim essa expressão significa “Somente”. Os 5 Solas são os seguintes:

1. Somente as Escrituras
2. Somente Cristo
3. Somente a Graça
4. Somente a Fé
5. Somente a Glória a Deus

Esses pilares tornaram-se o coração da Reforma Protestante. Precisamos destacar o primeiro “Sola”, pois os demais decorrem dele. É a partir das Escrituras que todo o conhecimento teológico se desenvolverá, pois não existe outra fonte de revelação segura para o crente construir o seu conhecimento e ter firme convicção que procede de Deus.
Vivemos em uma época sem centro, sem verdade, um mundo relativizado, sem eixo, sem direção. A única maneira da igreja se manter fiel é crendo que “Somente as Escrituras” é a verdade absoluta sobre toda a realidade. É a maneira segura de interpretar a vida e conhecer verdadeiramente a Cristo!

A Bíblia não é um compêndio de Teologia Sistemática. É a revelação de Deus mostrando o seu ser e atributos, bem como seu plano redentor em favor do seu povo, por meio de Cristo. A Teologia sempre será serva da Escritura e não o contrário! A teologia deve ser desenvolvida a partir da revelação, se purificando, buscando fazer o que é correto, aplicar de forma adequada.

Podemos dizer que a convicção reformada sobre a Escritura é refletida nesta afirmação de Berkhof: “A Bíblia é e continuará a ser a palavra de Deus para todas as gerações sucessivas dos homens somente em virtude de que sua inspiração é divina. Toda a Escritura foi dada por inspiração de Deus. Isto a torna a regra infalível de fé e prática para a humanidade.”¹

Por ser a verdade de Deus para nós, reformados, a Bíblia deve ser pregada com toda a ousadia e poder do Espírito Santo. Todo pregador deve ter diante de seus olhos ao pregar, a glória de Deus. Devemos reafirmar a cada momento que “Somente as Escrituras” pode dar ao homem verdadeiro e suficiente conhecimento de Deus, e também de si mesmo, como da realidade que o cerca.
Uma igreja reformada está sempre se reformando, sempre se voltando para as Escrituras e confrontando suas práticas, seus pressupostos e confissões com a verdade de Deus, que é a Escritura, por que toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, repreender, corrigir e educar na justiça (2 Tm 3. 16-17).

O grito dos reformadores no século XVI e nos seguintes, continua sendo o nosso: Somente as Escrituras. Não podemos abandonar esse primeiro “pilar” da reforma, caso contrário todo o resto cai! Que nossa vida e nosso conhecimento teológico seja primariamente fundamentada nas Escrituras e a partir dela possamos prosseguir em conhecer a Deus.

Reverendo Márcio Willian Chaveiro

__________________________________________________
¹ BERKHOF, Louis Berkhof, Manual de Doutrina Cristã, Ed. Ceibel, Patrocínio – MG, 1992, pp. 40-41.