“Amor para com os perdidos” (Lucas 15.8-10)
1 de junho de 2020
“Tempo de buscar ao SENHOR!”
3 de junho de 2020

“Semente entre espinhos”

“Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas” (Lc 8.7).

Jesus deu a seguinte interpretação para este tipo de solo: “As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações e pelos prazeres desta vida, e não amadurecem” (Lc 8.14).

Este solo, de um modo bem interessante, revela a natureza do coração do ser humano. Em seu estado natural, morto em seus pecados, o homem sempre segue o seu próprio caminho. Ouve a Palavra de Deus, mas está tão envolvida consigo mesma que apenas ouve, mas não presta atenção ao que ouve a respeito das boas novas do evangelho de Jesus Cristo. Viver a sua vida é o que há de mais importante e significativo.

Este tipo de solo reflete bem o egoísmo do homem. As suas muitas preocupações desta vida, o engano da riqueza, o anseio por estas coisas, a semente não germina. A razão dada pelo Senhor Jesus é que, por não ter umidade, a semente seca. E, portanto, torna-se infrutífera.

A semente que cai entre espinhos é abafada, pois a vida se centraliza na busca de tudo o que pode causar prazer à pessoa. O “eu” é o centro da vida para esse tipo de solo. Tudo gira em torno de satisfação pessoal.

É interessante considerar que as pessoas descritas nesse tipo de solo são aquelas que ouvem a Palavra de Deus e, “no decorrer dos dias” a semente é sufocada, pois os interesses pessoais são mais importantes do que o Reino de Deus. A busca pelos prazeres materiais, temporários são o foco da vida dessas pessoas. Afinal, para elas tudo é mais importante do que o Reino de Deus, menos, naturalmente, o Reino de Deus.

A semente lançada entre espinhos não frutifica. Não há, nesse tipo de solo, lugar para Deus. A busca pelos prazeres desta vida encanta e seduz o pecador e isto o torna sensível para tudo que causa satisfação pessoal, mas o deixa insensível às verdades do evangelho.

Vivendo a sua vida, o pecador é sufocado pela ansiedade da vida, envolvido com tantas coisas, em tantas atividades que a semente lançada em seu coração não amadurece. Em seu afã pela vida, o homem se esquece da razão principal da sua existência: viver para a glória de Deus. “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” (1Co 10.31).

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. José Paulo Brocco (Pastor na 1ª IPC de São Paulo)