“Deus cuidou de José, cuida de mim e cuida de você…”
17 de janeiro de 2020
“A grande história”
20 de janeiro de 2020

“Rompendo com a indecisão”

“E Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. O povo, porém, não lhe respondeu nada.” (1º Reis 18:21).

Tomar decisões faz parte da nossa vida. Somos desafiados todos os dias a fazer escolhas, sendo algumas mais simples, enquanto que outras são mais complexas, pois as suas consequências podem ser duradouras. Qual roupa vestir? Qual profissão escolher? Entretanto, a decisão demandada no texto é muito mais complexa, pois diz respeito à condição espiritual do povo. Continuar na idolatria ou mudar a condição do coração a fim de servir fielmente ao Senhor?

Por conta do ímpio Acabe, a dinâmica de Israel passou a ser um misto de obediência e rebeldia. Daí surgiu o profeta Elias como boca de Deus para desafiar um povo inconstante a retornar à obediência ao Deus da aliança. Ele dizia: Deixem de ser vacilantes! Assumam uma postura firme perante o Senhor. O fato é que num primeiro momento o profeta não obteve qualquer resposta, sendo necessários alguns confrontos de realidade para que se obtivesse o fim desejado. Para entendermos bem isso, vejamos:

O ENCONTRO INEVITÁVEL (v. 17) – “Quando o rei viu Elias, perguntou: És tu, ó perturbador de Israel?”. Vamos supor aqui que Acabe fez a seguinte indagação: “Então você é o famoso profeta Elias?” Não pensemos que tais palavras fossem elogiosas, pelo contrário, o clima era de hostilidade, aliás, a base para tal afirmação encontra-se no verso seguinte: “Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do Senhor e seguistes os baalins.” (1 Reis 18:18). À custa da própria vida, Elias confrontou Acabe acusando-o não só de cometer idolatria, como também de induzir seus súditos ao mesmo erro. O profeta poderia bajular o rei, mas decidiu confrontar e exigir mudança, conforme observamos no trato com o povo.

CONFRONTO NECESSÁRIO (v. 18) – “Até quando coxeareis entre dois pensamentos?” Em algum momento da sua vida você teve que lidar com a indecisão? Quem nunca? O fato é que Elias sabia que estava diante de um povo sem convicção do que realmente queria e, por isso era facilmente influenciado. Normalmente pessoas inseguras tornam-se marionetes nas mãos de indivíduos manipuladores. Porém, quando o assunto é servir ao Senhor, esta responsabilidade torna-se individual e intransferível. É como se o profeta dissesse para o povo: “Saiam de cima do muro! Tomem uma decisão agora e decidam voltar-se para o Senhor”. Vejamos o que veio na sequência:

AGIR É PRECISO – “Agora pois, manda ajuntar a mim todo o Israel…” (v. 19). Mais adiante Elias orou: “Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo saiba que tu, Senhor, és Deus e que a ti fizeste retroceder o coração deles.” (1 Reis 18:37). O resultado de tudo foi que o povo de Israel respondeu: “O Senhor é Deus!”.

A indecisão não é sinônimo de prudência, ela existe por causa do medo, da tradição, do comodismo, da correnteza em sentido contrário, do autoengano, do acanhamento, da opinião pública. Diante da dubiedade de Israel, o profeta Elias exortou o povo para que saísse da indecisão e que tomasse a postura correta de servir ao Senhor.
Saia você também da indecisão e recorra ao trono da graça na certeza que é do alto que vem a resposta que a tua alma tanto necessita.
Desejo a você a toda a sua família um abençoado dia.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Givaldo Santana (Pastor na IPC de Birigui – SP)