“Como é difícil ser como o Mestre!”
6 de maio de 2020
“A parábola do semeador”
8 de maio de 2020

“Ricos para com Deus”

O texto para a meditação de hoje é Lucas 12.16-21, e o versículo chave é o 21: “Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus.”

Certa vez assisti uma reportagem onde o entrevistado era um homem que possuía uma riqueza estimada em bilhões de dólares; em determinado momento, a repórter lhe questionou: Existe alguma coisa que o dinheiro compre, mas que o senhor não consegue? O entrevistado de forma taxativa respondeu: Não! Perguntado sobre aquilo que lhe dava mais prazer, o bilionário respondeu: Ir a uma praça qualquer e comprar um picolé com o sorveteiro.

A passagem registrada por Lucas nos traz algo infelizmente muito comum dentro das famílias, ou seja, briga entre irmãos por causa da partilha de bens. Por pura ganância um irmão acha que deve levar vantagem sobre outro e por conta desta postura surge o rompimento dos laços até a morte.

Observe que o Senhor Jesus se viu entre dois irmãos que não chegavam a um acordo, ele naturalmente se recusou a assumir uma postura de juiz, mas aproveitou a situação para ensinar uma profunda verdade, não só para as partes envolvidas, mas também para todos os presentes: “… Porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui”. Verso 15.

Conforme era comum no ministério de Cristo, ele se valeu de uma parábola para ensinar uma verdade de valor eterno. De acordo com a descrição da ilustração, após angariar bastante riqueza, finalmente o homem deu-se por satisfeito, resolveu cruzar os braços e desfrutar do que ainda lhe restava de vida, sem nenhuma preocupação com a condição da sua alma; esta postura lhe rendeu uma forte repreensão da parte do Senhor: “Louco!” Verso 20.

Cristo concluiu enfatizando a importância de sermos ricos para com Deus. Neste particular não se trata do saldo bancário, ou nem mesmo de possuir uma conta num banco; sim, alguns indivíduos moram em mansões e são ricos para com Deus, assim como outros moram numa favela e de igual forma possuem a mesma riqueza. Mas é fato que a pobreza espiritual de igual forma atinge os dois públicos citados. Tenha em mente o seguinte: Deus é a fonte da vida. Ele é tudo o que precisamos para viver e para que sejamos felizes.

Permita-me fazer aqui algumas indagações: Como está a tua alma? Você já reconheceu a importância de Cristo para a sua? O que você tem acumulado? Você é rico para com Deus?

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Givaldo Santana (Pastor na IPC de Birigui – SP e Pedrinhas Paulista – SP)