“Resplandecendo como candeia” (Mateus 5.14-16)

“Alicerçados na Palavra”
15 de julho de 2020
“No mundo das fakes (2)”
17 de julho de 2020

“Resplandecendo como candeia” (Mateus 5.14-16)

“Vós sois a luz do mundo” (v. 14).

Existem vários exemplos que são usados para exemplificar aquelas pessoas que passam despercebidas onde vivem e atuam, dentre eles destacamos o ditado popular: “Maria vai com as outras”, por ser o que me vem à memória neste instante. O fato é que ao longo de todo o texto bíblico, o povo de Deus é chamado a fazer a diferença sob todos os âmbitos, como espiritual, ético e moral.

Vivemos em um momento da história, onde existe uma pressão muito grande para que tudo seja visto como normal, em um aceno claro para a libertinagem. É importante destacar que a partir da queda, o home tornou-se hostil a Deus e à Sua Palavra, sendo necessário o plano redentivo de Deus, a fim de chamar o transgressor de volta para Ele. É dentro deste contexto que Cristo chama os seus seguidores de luz, conforme podemos observar na sequência.

“Vós sois a luz do mundo”. (v. 14). Conta-se que em um período quando as luzes da cidade eram ligadas manualmente, um homem ia passando com uma escada nas costas, e alguém lhe perguntou: O que o senhor está fazendo? Ele respondeu: estou espancado as trevas! É exatamente isto que o crente deve fazer, e faz quando anuncia o evangelho pela proclamação e também pelo bom testemunho. Quando chamamos pecadores ao arrependimento, atuamos como instrumentos para que o perdido pecador saia das trevas e, veja a luz, que é Cristo, brilhar em nós. Mas aí surge uma advertência feita por Cristo.

“Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire” (vv. 14 e 15). O primeiro exemplo não é possível, e o segundo não faz nenhum sentido. Portanto, aqueles que um dia foram chamados das trevas para a luz, ou seja, deixaram a vida de pecados, agora devem deixar esta luz brilhar através de suas vidas para que outros sejam de igual forma beneficiados. Isto equivale a dizer que quando um crente não pregar o evangelho, deixa de cumprir o propósito para o qual foi chamado por Deus. A isto a Palavra chama de desobediência. Daí o incentivo.

“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens” (v. 16). Como? Tomando Cristo como modelo por excelência, devemos cultivar uma vida de amor, obediência, humildade e perdão. Cabe destacar que o evangelho é por natureza confrontador, razão pela qual, se quisermos espancar as trevas na vida de alguém, precisamos anunciar o Evangelho. E Cristo nos diz qual deve ser a motivação principal: “E glorifique a vosso Pai que está nos céus” (v. 16).

Seja a luz que brilha em um contexto de trevas, onde a ortodoxia morta, por um lado, e a secularização por outro, vão ganhando espaço na nossa sociedade.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Givaldo Santana (Pastor na IPC de Birigui – SP e Pedrinha Paulista – SP)