“Aqui tudo é passageiro”
20 de julho de 2020
“Boas Notícias (Naum 1:15)”
22 de julho de 2020

“Referencial”

Há três referenciais que as pessoas usam para construir sua própria identidade. Esses referenciais são na verdade o que vão definir como uma pessoa vai viver.

O primeiro referencial pode ser definido como a opinião dos outros. Muitas vezes somos reféns da opinião dos outros em relação a nós. Quantas vezes não tomamos determinadas decisões, apenas porque queremos agradar alguém ou porque queremos parecer algo que na verdade não somos. Viver o padrão dos outros para a própria vida é um tipo de escravidão que traz bastante pesar e sofrimento, principalmente pelo fato das outras pessoas estabelecerem padrões severamente elevados. Tome cuidado para não se tornar um escravo da opinião alheia.

O segundo referencial pode ser definido como viver em função de si mesmo. Pode parecer libertador deixar de agradar os outros para agradar a si mesmo, mas esse é um terrível engano. O mundo atual é o reflexo de uma geração que passou a viver as próprias experiências acreditando que seriam libertadoras. Na prática, seguir os próprios extintos na busca da construção de uma identidade livre tem se revelado uma forma de escravidão ainda pior. Ninguém consegue viver bem consigo mesmo nem quando se dá vazão ao coração atendendo-lhe todas as suas exigências. A Palavra de Deus diz que o coração é enganoso, corrupto e que dele procedem todos os maus desígnios. Cuidado para não se libertar de um referencial ruim e se tornar escravo de outro pior.

O terceiro referencial pode ser definido como viver em função da vontade de Deus. Deus é o nosso Criador e como tal ele nos conhece muito melhor do que nós mesmos. Deus sabe do que precisamos e do que pode realmente trazer alegria para o nosso coração. Depois da queda de Adão e Eva o ser humano tornou-se escravo do pecado. A carta aos Efésios afirma que estávamos mortos em nossos delitos e pecados, e que vivíamos em função do espírito que opera no sistema mundano opondo-se ao Reino de Cristo. No entanto, é na obra de Cristo que nos livremos do terrível fardo de viver como escravos dos outros e de nós mesmos, e passamos a ser livres em Cristo. Livres para dizer não para toda a forma de domínio perverso e maligno.

Pare e pense! Você é refém do que os outros pensam de você? Você é refém dos seus próprios padrões? Somente em Cristo você pode ser verdadeiramente livre. Não há referencial melhor, mais seguro do que viver para a glória de Deus.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Ricardo S. Alves (IPC de Palmares Paulista – SP)