Cristo nos Liberta de todas as nossas Preocupações!
5 de julho de 2019
“Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”
7 de julho de 2019

Qual é a oração que Deus atende?

Aquela que estiver de acordo com o seu decreto. Há possibilidades de sabermos qual o decreto de Deus? A resposta é sim e não! Sim, pois parte do seu decreto foi revelado nas Escrituras. Não, porque o Senhor não revelou toda a minúcia e pormenores do seu decreto.

Quando oramos sempre fazemos em esperança e expectativa de que nossa oração será atendida, se estiver de acordo com o decreto.

Mas, se aqueles que possuem esta compreensão ficam muitas vezes frustrados. Uma vez que suas orações, por não estarem de acordo com o decreto de Deus, não foram atendidas. Porém, algo acontece, apesar de frustrados, não abandonam a fé. Qual a razão? Sabem que se o Senhor não o atendeu, isto se deve ao fato de que suas orações não foram feitas de acordo com o decreto de Deus. E como está revelado que tudo coopera para o bem daqueles que TEMEM AO SENHOR, o pedinte aceita e na medida do possível, descansa. Entretanto, temos infelizmente outra situação: imagine aqueles que não tem manejo com a Palavra de Deus? Os que fazem parte de locais onde as Escrituras não são pregadas, e por isso, estão às cegas. Oram, e se tiverem (me permita usar este termo) de orarem de acordo com o decreto do Senhor, receberão o que pediram.

Todavia, quando não recebem, ficam perturbados e se tornam presas fáceis de homens maus que transformam a fé em mercadoria e que acabam culpando as pessoas por falta de fé e por não fazerem propósitos, ou até mesmo, não terem exigido de Deus. Insinuam que o recebimento de alguma coisa é acionado pelo mecanismo da fé, o qual tornaria Deus obrigado a dar tal e tal coisa aos pedintes.

Portanto, percebam como a ignorância das Escrituras deixa rastros de cegueira e destruição. A fé é importante, pois ela agrada a Deus, porém de hipótese nenhuma, modifica o decreto de Deus

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Jaziel Cunha