“Você é egoísta?”
22 de maio de 2020
“Você está atento?”
25 de maio de 2020

“Pregando a Palavra”

Em Malaquias 1:1 está escrito assim: “Sentença pronunciada pelo SENHOR contra Israel, por intermédio de Malaquias.”

O ministério profético de Malaquias se deu num tempo de apatia espiritual. As festas religiosas em Israel eram cumpridas de acordo com o calendário, as cerimônias não deixavam de ser realizadas, os cultos aconteciam regularmente, no entanto, tudo isso era feito com má vontade, com insinceridade e sem temor a Deus. Esse profeta foi chamado por Deus para confrontar esse povo religiosamente pecador, ou pecaminosamente religioso.

Destaco três aspectos da dura e pesada tarefa que Malaquias recebeu:

• O 1º aspecto é: A palavra que Malaquias tinha de proclamar era uma “sentença”. Era uma mensagem pesada a ser transmitida aos de Judá e de Jerusalém. Ele tinha de dizer aos seus ouvintes, às suas ovelhas, o que precisavam ouvir e não o que queriam ouvir.

• O 2º aspecto é: A palavra que Malaquias tinha de proclamar era a própria Palavra pronunciada pelo Senhor. A mensagem pesada a ser transmitida não vinha do profeta, mas de Deus a ele e dele deveria chegar ao povo. Ele era quem tinha de transmitir tudo na íntegra. Sua pregação vinha do céu pra ele. Era seu encargo repassar tudo com fidelidade, seriedade e coragem.

• E por fim, o 3º aspecto é: A palavra que Malaquias tinha de proclamar tinha alvo certo, o povo de Deus. A sentença pronunciada pelo Senhor era contra Israel. A mensagem do profeta aos de Judá e de Jerusalém era bastante pesada, pois era “contra” o povo e não “a seu favor”. O povo da aliança desprezou essa aliança com o Senhor. O compromisso com o Senhor foi menosprezado. A sua prática religiosa era de boca e não de coração, ou melhor, era com o coração falso, desinteressado e sem amor.

Não existe obra mais maravilhosa que um homem possa fazer do que a obra da pregação da Palavra de Deus, todavia, como disse o Rev. Hernandes Dias Lopes em seu livro: De: Pastor A: Pastor: “Ser ministro é viver constantemente sob pressão… Ser pastor é a arte de engolir sapos e vomitar diamantes… Ser pastor é saber que o nosso galardão não nos é dado aqui, mas no céu.” É uma bênção ser um pregador da Palavra de Deus? Sim, claro que sim! É um privilégio, uma honra inexplicável. Mas, na prática, no dia-a-dia, os verdadeiros pregadores têm de suportar o peso da Palavra de Deus em seus corações. Essa Palavra arde e queima seus corações. Mexe e incomoda. E o chamado do Autor e Dono dessa poderosa Palavra é para que os verdadeiros pregadores a transmitam com fidelidade, com coragem e com paixão. Afinal, é a mensagem do céu. É a palavra mais séria e mais urgente a ser transmitida no mundo inteiro.

Acredito que estamos numa situação bastante parecida com a que enfrentou o profeta Malaquias, por isso, como esse homem fizera, façamos nós também, irmãos. Sigamos no nosso ministério da pregação da Palavra importando-nos tão somente em obedecermos a Deus e no fim de tudo sermos achados fieis a Ele.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Heli Donizete (Pastor da IPC de Prata – MG)