“Semente sobre pedras”
26 de maio de 2020
“Todas as Promessas têm Nele o Amém” (Mateus 1.21)
28 de maio de 2020

“O pecado dos nossos filhos”

À medida que nossos filhos crescem ficamos impressionados com as suas habilidades e facilidades. Quantas vezes somos surpreendidos pelas habilidades dos pequeninos? À medida em que aprendem a falar e a expressar ideias, rapidamente vão se desenvolvendo na arte das perguntas, das argumentações e dos questionamentos complexos da vida. É maravilhoso ver nossos filhos aprendendo as letras do alfabeto, a formar e ler as palavras, a responder as primeiras equações matemáticas. Na era da tecnologia, nossos filhos demonstram destreza ao lidar com equipamentos modernos. A tecnologia que muitas vezes nos intimida, para os nossos filhos é puro fascínio. É um processo bonito da vida que enche o nosso coração de alegria e felicidade.

Por outro lado, é claramente perceptível que nossos filhos se desenvolvem rapidamente nas práticas do pecado. Ninguém precisa ensiná-los o errado, eles simplesmente já sabem por natureza. Ainda que se tente justificar dizendo que os meio é que corrompem o ser humano, fica bem claro que na prática, ainda que nossos filhos cresçam num ambiente harmonioso regido pelo evangelho, os seus pecados brotam, crescem e se fortalecem. A mentira, a birra, a murmuração, a raiva, o descontrole são pecados visíveis que revelam a natureza humana dos pequeninos. Paulo declarou em Romanos 3.23: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.” Com exceção do Senhor Jesus, não há nenhum ser humano nascido depois de Adão e Eva que não tenha a sua natureza corrompida pelo pecado. Na carta aos Efésios, capítulo 2, Paulo é ainda mais incisivo ao dizer que antes de recebermos a vida em Cristo, estávamos mortos em nossos delitos e pecado.

Tudo isso nos leva a duas importantes conclusões. A primeira é que nossos filhos, assim como nós, são terríveis pecadores condenados ao castigo eterno. A sua beleza e ingenuidade não são suficientes para torna-los aceitáveis aos olhos de Deus. A segunda conclusão é que nossos filhos precisam de um encontro real e transformador com Cristo. Somente o novo nascimento, a regeneração da alma e a conversão é que podem mudar uma natureza pecaminosa para uma natureza justificada e santificada.
Nossos filhos são pecadores, e eles precisam de Cristo tanto quanto qualquer ser humano. Falemos de Cristo aos pequeninos, oremos por eles e com eles, leiamos a Santa Palavra de Deus diariamente, vamos instruí-los nos santos caminhos de Deus, e assim, o Senhor, conforme a sua vontade operará o maior de todos os milagres.
Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família, e uma noite de sono abençoada.

Rev. Ricardo S. Alves (IPC de Palmares Paulista – SP)