“A providência de Deus” (Atos 14.17)
9 de maio de 2020
“O propósito das provações da vida”
12 de maio de 2020

“O Governo e a Benção de Deus”

Tomemos como texto para nossa meditação Mateus 1.1, que diz: “Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão”. Lembre-se que Mateus escreveu para os judeus, um povo que conhecia seu passado e história. Mas o que o evangelista quer dizer ao falar que Jesus é descendente de Davi e também de Abraão? Ao meditarmos nesse texto algumas verdades preciosas nos vêm à mente nesse momento:

Primeiro, Mateus faz seus compatriotas voltarem seus olhos para o passado. Os judeus deveriam olhar para trás e refletirem sobre os procedimentos de Deus em relação aos seus ancestrais. Conhecer nosso passado é essencial para vivermos bem o presente. Uma pessoa sem passado é uma pessoa sem história. E uma pessoa sem história é uma pessoa sem identidade, sem referências, alienada e sem perspectiva de futuro.

Segundo, Mateus deixa claro que Deus não se esqueceu de seu povo. Ele continua ativo na história e seus olhos estão postos sobre ele. Por mais demorado que possa parecer, Deus ainda nos achará e virá ao nosso encontro e mudará nossa história.

Terceiro, Mateus enfatiza que Jesus Cristo é descendente direto da família de Davi, ou seja, ele nasceu para ser Rei. Ele é o filho de Davi que governará para todo o sempre sobre o povo de Deus e fará em seu reino o que seu pai fez no seu. Ele guerreará as batalhas do seu povo, trará paz e prosperidade para seus súditos e os conduzirá para a felicidade eterna diante de Deus.

Quarto, Mateus declara que Jesus Cristo é o descente de Abraão, por meio de quem Deus há de estender sua benção a todas as famílias da terra. Deus tem um povo escolhido não somente dentre os judeus, mas também dentre todas as famílias da terra. Durante muito tempo a igreja de Deus ficou restrita à Palestina, mas agora estenderá suas abas e envolverá todas as nações do mundo. O nome de Deus será celebrado e sua glória manifestada em toda terra, e as pessoas de todos os confins experimentarão sua graça e bondade.

Isso seria algo impensado para os judeus, mas Mateus demonstra que o objetivo de Deus sempre foi esse desde o princípio ao mencionar na genealogia de Jesus pessoas que não pertenciam ao povo judeu.

Mateus considera isso tudo necessário para abrir a mente dos seus irmãos judeus quanto ao Reino de Deus. O Reino de Deus é muito mais amplo do que podemos imaginar. Deus não se restringe à língua, etnia, povo ou nação. Mas age de forma abrangente para reunir todos aqueles que foram criados para o louvor da sua glória, e Ele fará isso por meio de Jesus Cristo, o Messias.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Antônio Carlos S. Lima (Pastor na IPC de Antonina – PR)