“Jejum, uma prática necessária”
29 de julho de 2020
“Tudo para a glória de Deus”
1 de agosto de 2020

“No mundo das fakes (4)”

“Vocês ouviram o que foi dito: Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo” (Mt 5.43)

O mandamento para amar o próximo é bíblico. Lemos em Levítico 19.18 o mandamento: “Não procurem vingança, nem guardem rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o Senhor”. Todavia, não há nas Escrituras nada a respeito disto: “e odeie o seu inimigo”. Uma verdade bíblica ame o se próximo; um falso ensinamento: odeie seu inimigo. Odiar o próximo talvez tenha sido uma inferência dos judeus, mas totalmente errada.

Jesus disse: “Mas eu lhes digo: Amem seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem” (Mt 5.44). O Senhor não apenas corrige um ensino falso, mas instrui o que o um verdadeiro discípulo cristão deve fazer. Amar e orar pelos inimigos é uma característica de todo aquele que foi comprado pelo sangue precioso do Senhor.

Odiar o próximo é algo totalmente estranho à natureza do evangelho de Cristo.

O que é amar o inimigo? O fato de não odiar e nem ter desejo de vingança contra um inimigo já é uma forma de amá-lo. Amar o inimigo não significa concordar com a conduta errada, ações ou atitudes que sejam contrárias aos princípios da Palavra de Deus e que, até mesmo, possa ser alguém que não tenha nenhuma reverência para com Deus.

Não apenas amar, mas também Jesus nos ensina a orar pelos nossos inimigos. Orar pelos inimigos é algo que também pode deixar um cristão perplexo. Todavia, este é o ensino do Senhor. A perseguição que o cristão pode sofrer não é algo estranho, pois Jesus advertiu a esse respeito. “Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês” (Mt 5.11).

E também é importante lembrar que, antes da nossa conversão a Deus, também éramos inimigos de Deus. “Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a morte de seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos por sua vida” (Rm 5.10). O Senhor Jesus nos ensina a orar pela salvação dos nossos inimigos.

Estevão, o primeiro mártir do cristianismo, em sua morte por apedrejamento, nos últimos instantes de sua vida, fez esta oração ao Senhor, em favor dos seus inimigos: “Senhor, não os consideres culpados deste pecado” (At 7.60).

Ame e ore pelos seus inimigos. Isso não é fake, mas um princípio bíblico.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. José Paulo Brocco (Pastor na 1ª IPC de São Paulo)