“Instruções sobre a volta do Senhor (2)” (1 Ts 4.13-5.11)

“Somos peregrinos (1)”
6 de março de 2020
“Fé”
9 de março de 2020

“Instruções sobre a volta do Senhor (2)” (1 Ts 4.13-5.11)

3ª Instrução: Não sejamos ignorantes a respeito dos antecedentes da volta do Senhor cap. 5 (vs 1-3)
O que as Escrituras dizem?

O que precisamos saber sobre os tempos e as épocas? Veja o que as Escrituras dizem: Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; 2pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite (vs. 1,2).

Como os homens se comportarão neste período, como serão pegos e qual será o destino dos ímpios vivos? Veja o que as Escrituras dizem: Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão (v. 3).

4ª Instrução: Não sejamos ignorantes a respeito da nossa condição (vs. 4-11)
O que as Escrituras dizem?

Não estamos em trevas e sim na luz. Veja o que as Escrituras dizem: Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas (vs. 4,5).

Devemos ser vigilantes e sóbrios. Veja o que as Escrituras dizem: Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. Ora, os que dormem, dormem de noite, e os que se embriagam é de noite que se embriagam (vs. 6,7).

Compreendendo a terminologia: Dormir (cf. Mc 13.36; Ef 5.14) significa viver como se nunca houvesse de vir um dia de juízo. Pressupõe-se a existência de relaxamento espiritual e moral. Lucas 12.45 retrata esta condição de forma vívida. Assim o faz também a descrição das virgens displicentes, que não levaram óleo em suas vasilhas para suas lâmpadas (Mt 25.3,8). Isso significa estar despreparado. Ser vigilante significa viver uma vida santificada, consciente da vinda do dia do juízo. Pressupõe-se precaução espiritual e moral. O indivíduo vigilante tem sua lâmpada acesa e seus lombos “cingidos”, e é nessa condição que ele aguarda a volta do Noivo (sobre isso, leia Lc12.35-40). A pessoa vigilante está sempre preparada. Ser vigilante significa estar espiritualmente desperto (Ap 3.2-3; 16.15). Implica o hábito da oração regular, inclusive ações de graça (Cl 4.2). O que provavelmente seja a mais completa descrição de vigilância é dada em 1 Coríntios 16.13,14: “Sejam vigilantes, permaneçam firmes na fé; portem-se varonilmente, fortaleçam-se. Todos os seus atos sejam feitos com amor”.

Devemos também nos revestir da maneira adequada como convém a santos. Veja o que o Texto sagrado diz: Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da salvação (v. 8).

Devemos ter discernimento do propósito de Deus para as nossas vidas. Veja o que o Texto diz: porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos em união com ele (v. 9,10).

Devemos aplicar nas nossas vidas o ensinamento das Escrituras. Veja o que o Texto diz: Consolai-vos, pois, uns aos outros e edificai-vos reciprocamente, como também estais fazendo (v. 11).

Que o Eterno abençoe seus santos e que tenhamos discernimento de como será a volta do Senhor e o que devemos fazer com tais informações.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Jaziel Cunha (Pastor na IPC da Grande Recife)