“Cristo, Exemplo de Humildade que Gera as Atitudes que o Cristão deve ter para que haja Unidade na Igreja”
20 de abril de 2019
“Deus é Soberano”
19 de maio de 2019

“Guarda o Coração”

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Pv. 4:23).

É perceptível o grande crescimento numérico de pessoas preocupadas com o bem-estar físico. Nas academias, parques e até mesmo nas ruas encontramos muitas pessoas se exercitando diariamente. Pessoas de todas as idades têm se esforçado para ter um corpo saudável, o que é muito bom. Mas a questão que desejo levantar nessa edição do “O Presbiteriano Conservador” é se tem havido preocupação semelhante com a saúde espiritual. Como cristãos, quanto temos nos esforçado para crescermos em santidade e piedade? Quanto dos nossos esforços, tempo e até mesmo recursos financeiros têm sido investidos em nossa saúde espiritual?

No texto destacado, o escritor de Provérbios (Salomão cf. Pv 1.1), como um pai amoroso e zeloso pelo seu filho, nos instrui a cuidarmos do nosso coração. Ele não estava falando sobre o órgão que reside em nosso peito, responsável por bombear o sangue por todo o nosso corpo físico, mantendo-o saudável; o termo “coração” foi usado para descrever o núcleo do nosso ser – nossos valores e motivações – a parte mais profunda de quem somos. Mais do que com a vida física, Salomão se mostrou preocupado com a saúde espiritual de “seus filhos”.

Assim, a essência da sua instrução é encontrada no versículo 23, onde ele disse: “… guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida”, destacando a importância de cuidar dos assuntos do coração, porque a condição do coração determina a direção da vida. Esse é um ensinamento consistente nas Escrituras. Leia o que Jesus disse sobre o coração em Lucas 6.45: “O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque a boca fala do que está cheio o coração”. De acordo com Jesus, o que está no coração determina as ações. As coisas boas saem de um bom coração, e coisas ruins saem de um coração ruim. Creio ser essa a razão para guardar o coração acima de tudo (sobre tudo – v. 23). Guardamos todo tipo de coisas em nossas vidas e em todo tempo. Mas essa passagem nos lembra de que, mais do que qualquer outra coisa, que podemos guardar, devemos guardar o coração. Ele deve ser a nossa maior prioridade. Pois se mantivermos o coração focado no Senhor, todas as outras coisas estarão seguras. Caso contrário, todas as coisas que guardamos correm sérios riscos (Sl. 127) e estaremos nos afastando dele.

Você se lembra de Davi? Ele é um exemplo perfeito disso. Davi é descrito como um “homem segundo o coração de Deus”; pois na maior parte da sua vida ele guardou seu coração. Porém, houve um momento em que Davi começou a vagar e descuidou do seu coração. Tudo começou, podemos dizer, que “inocentemente”. Certa feita, Davi viu uma jovem mulher tomando banho. Desatento, seu olhar se transformou em um pensamento, que se transformou em um desejo, e culminou em uma ação – numa triste ação (Tg. 1:12,13). Ele cometeu adultério e ao descobrir a gravidez da mulher planejou o assassinato de seu marido. Esse episódio é uma advertência para cada um de nós. Pois como poderia o homem segundo o coração de Deus acabar cometendo adultério e assassinato? É simples, ele não guardou o seu coração, permitindo que ele se contaminasse, gerando ações pecaminosas que fugiram do seu controle. Precisamos ser diligentes em guardar nossos corações, porque, se não o fizermos, podemos nos afastar do Senhor em áreas que nunca pensamos ser possível.
Ao retornamos para o texto, percebemos que a grande questão que precisamos responder é como podemos proteger nosso coração? A resposta é encontrada nos versos que circundam o v. 23, supracitado. Assim sendo, é mister que você continue a leitura desse editorial com sua Bíblia aberta em Pv. 4:20-27. Como podemos guardar o nosso coração?

1. Instruindo o coração com os sábios ensinamentos do Senhor (vv. 20-22).
Veja que há uma chamada crescente e interessante nesses versos: “atenta para” (v.20), “inclina os ouvidos” (v.20); “não os deixes apartar-se” (v.21), “guarda-os” no mais íntimo do teu coração.
Sabemos da importância de ler diariamente a Bíblia, e incentivarmos as pessoas a fazer isso. Mas é possível nos esquecermos de que ler apenas por conhecimento não é suficiente para uma espiritualidade saudável. É preciso ler atentamente com a disposição de obedecer. Ler desejando que ela nos instrua, alimente e mude nossa vida. Precisamos interagir com a Bíblia, nos perguntando enquanto lemos: Como isso se aplica para mim? O que eu preciso mudar na minha vida com base no que essa passagem ensina? Veja se não é o que Tiago ensina em sua carta (Tg 1:22-25).
Portanto, para proteger nosso coração, precisamos gastar tempo estudando a Palavra de Deus regularmente. Quanto mais tempo passamos com a Palavra de Deus, mais ela penetrará no coração. É por isso que é indispensável para vida cristã tempo diário para meditação nas Escrituras. Jamais guardaremos com segurança o coração se desprezamos as instruções de Deus, se não passamos tempo estudando-as e obedecendo-as!

2. Desviando de tudo que pode contaminar o coração (v.24).
Não podemos negar que o ambiente que vivemos tem uma influência profunda na maneira como pensamos e agimos. De certa forma, somos como esponjas que absorvem todo líquido limpo ou sujo que está ao seu redor. Assim, Salomão nos diz, no v. 24, que devemos desviar a falsidade da boca e afastar a perversidade dos lábios (cf. Sl. 1).
Quão verdadeiro é que começamos a pensar e agir como aqueles com quem passamos a maior parte do tempo. Se esses possuem boca de falsidade e lábios de perversidade, não demorará nos tornarmos iguais a eles. O remédio para não sermos contaminados é: desviar desses e instruir o coração com a Palavra do Senhor. Cuidado, pois muitos querem desviar o nosso coração!

3. Avalie sempre o caminho que está seguindo (vv.25-27).
Vivemos em mundo muito atraente, sedutor. Desviar-se em meio à caminhada não é algo difícil de acontecer. Como é fácil crer que tudo está ótimo em nossa vida. O próprio livro dos Provérbios nos mostra isso: “Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte” (Pv. 14:12); “Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o SENHOR pesa o espírito” (Pv. 16:2). Esses textos nos mostram a necessidade de uma constante e correta autoavaliação. Por isso a exortação encontrada nos vv. 25-27 é de suma importância para a vida.

Avalie o seu caminho, avalie o seu coração. Pois se não formos cuidadosos, podemos nos encontrar no mesmo caminho que Davi — não percebendo até que ponto nosso coração está distante do Senhor. Uma vez que sabemos o que está em nosso coração, para onde nos conduzem os nossos pés, então, poderemos fazer as mudanças necessárias antes que seja tarde demais.

Portanto, não há dúvida do quão importante é buscarmos uma vida física e emocional saudáveis. Priorizar hábitos e alimentação saudáveis, exercitar o corpo e a mente. Ignorar essa verdade é investir em terríveis consequências para corpo. De igual modo, é verdade com o nosso coração, com a nossa vida espiritual. Temos que cuidar, a fim de que desfrutemos de uma vida piedosa saudável. Para tal, o escritor de Provérbios nos lembra de que a coisa mais importante que podemos fazer por nós, é guardar o nosso coração. Nem sempre é fácil guardar, às vezes exige esforço, diligência. Assim, devemos buscar instruir constantemente com a Palavra de Deus o nosso coração. Assim, devemos evitar aqueles que querem a todo instante influenciar, maleficamente, o nosso coração. Assim, devemos ser diligentes em examinar o nosso caminho, a condição do nosso coração, para que tenhamos condições de corrigi-lo sempre que necessário. Se com sabedoria atentarmos para as palavras de Salomão, aproveitaremos a vida da maneira que Deus planejou para vivermos — de maneira saudável e cheia de alegria.

Rev. Roney Pascoto
Editor de O Presbiteriano Conservador e pastor da IPC de Limeira, SP