“Desejos e propósitos para o novo ano”
11 de janeiro de 2020
“Posicionamento da Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil em Relação a Esquerda”
13 de janeiro de 2020

“Discípulo de Jesus (3)”

Abnegação! É tremendamente elogiável quando é uma ação que outros fazem. “Jesus dizia a todos: Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23). Ouvir os ensinos de Jesus é muito bom, saber que Ele faz milagres é bom também. Mas, apenas ouvir e saber não são identificações de um verdadeiro discípulo de Jesus.

O chamado para ser discípulo é, em certo sentido, geral. “Jesus dizia a todos: Se alguém”. Porém, embora sendo um chamado para todos, nem todos são capacitados para serem discípulos de Jesus. Todo discipulado tem um preço. E, ser discípulo de Jesus não é para obter a salvação, mas por causa da salvação.

E Jesus começa dizendo: “Negue-se a si mesmo”. Ou, seja, abnegação do seu próprio eu com o propósito de ser um discípulo fiel do Senhor. Negar-se a si mesmo não é anulação do seu eu, mas é viver sua vida para a glória e louvor de Deus. “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no Filho de Deus que me amou e se entregou por mim” (Gl 2.20).

Portanto, se não há negação ao eu é impossível ser discípulo de Jesus. Não é possível dizer que ama a Jesus, mas ama também ao eu. É tudo ou nada. Não é possível meio termo.

Mas, por que seria tão difícil “negar-se a si mesmo”? Na parábola do semeador, Jesus interpreta a semente que caiu entre os espinhos, dizendo: “As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações, pelas riquezas e pelos prazeres desta vida, e não amadureceram” (Lc 8.14). Preocupações, riquezas, prazeres. Como é difícil negar a essas realidades diárias na vida de todo pecador. Ouvem a verdade que pode libertar de todas essas coisas,
todavia, a semente caiu entre os espinhos.

“Negar-se a si mesmo” é morrer. Sim, morrer. “Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos” (Gl 5.24). A palavra carne significa a natureza pecaminosa. Ora, se aquele que diz que está em Cristo não morrer para o pecado, não pode viver para Cristo. Morrer para o pecado é viver em e para Cristo.

“Negar-se a si mesmo” é viver para a glória de Deus, dando, em tudo, graças a Ele. “Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai” (Cl 3.17).

Você tem negado a você mesmo? Isso identifica você como um verdadeiro discípulo de Jesus.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. José Paulo Brocco (Pastor da 1 IPC de São Paulo – SP)