“Senciência animal e os filhos de Deus”
6 de janeiro de 2020
“Muitas pessoas creem em Cristo, mas, muitas outras não creem. Por quê?
8 de janeiro de 2020

“Discípulo de Jesus (2)”

Ser discípulo de Jesus envolve compromisso. E, talvez, não compreender a extensão do compromisso, é onde surgem as dificuldades. O Senhor Jesus chamou a Si pecadores que, transformados pela Sua graça, passam a ser Seus seguidores e Suas testemunhas. O compromisso começa quando o discípulo compreende a obra de Jesus em seu favor. “É necessário que o Filho do homem sofra muitas coisas e seja rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, seja morto e ressuscite no terceiro dia” (Lc 9.22). Rejeição, perseguição e morte. Era o que esperava Jesus em Jerusalém.

O que torna o pecador um verdadeiro discípulo de Jesus não são apenas os Seus ensinos, mas crer na necessidade da morte de Jesus em seu lugar. Se o discípulo não compreender a necessidade dos sofrimentos, morte e ressurreição de Jesus, jamais será um discípulo verdadeiro Dele. É o conhecimento e a fé na morte e ressurreição de Jesus que dá ao discípulo a firmeza na Palavra de Deus e a segurança para andar nos caminhos do Senhor Jesus.

O discípulo de Jesus deve conhecer as doutrinas e os ensinamentos éticos para o seu viver, neste mundo, durante sua peregrinação para a Jerusalém celestial. São os ensinamentos bíblicos que fortalecem a fé, firmam a esperança e capacita a viver em amor a Deus e ao próximo. O discípulo de Cristo vive sua vida alicerçado nas verdades bíblicas. E isso o capacita a viver neste mundo, sendo sal da terra e luz do mundo.

Crer em Jesus e na Palavra de Deus não é um mero conhecimento intelectual, mas é algo que resulta viver em obediência aos mandamentos do Senhor. A obediência aos ensinamentos bíblicos deve fazer toda a diferença no viver diário de todo discípulo. Ele obedece não apenas porque deve obedecer, mas, porque a obediência é um caminho para glorificar a Deus e ser uma fiel testemunha de Jesus, em meio de uma sociedade pervertida e corrompida.

A vida do discípulo de Cristo faz diferença, para ele e para o mundo quando busca na santidade, um modo de viver para a glória de Deus. “Não devemos preservar nossa santidade fugindo do mundo, nem sacrificá-la nos conformando a ele”. O discípulo não foge do mundo, mas deve batalhar para não se identificar com o mundo. E é na Palavra de Deus que ele tem a orientação e o fortalecimento para sua vida. “Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade” (1Ts 4.7).

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. José Paulo Brocco (Pastor da 1 IPC de São Paulo – SP)