“Bençãos nas provações”
26 de fevereiro de 2020
“Instruções sobre a volta do Senhor (1)”
28 de fevereiro de 2020

“Discípulo de Cristo (8)”

Em Suas palavras de despedida, Jesus disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações” (Mt 28.18-19). Pouco antes de voltar ao Pai, Jesus instruiu os Seus discípulos quanto ao conteúdo da mensagem a ser anunciada por eles. “Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas” (Lc 24.46-48). A autoridade de Jesus em enviar Seus discípulos ao mundo está fundamentada na Sua morte, ressurreição e volta ao Pai.

A autoridade do discípulo de Cristo para pregar as boas novas de salvação aos pecadores está firmada na sua experiência do arrependimento, de voltar-se para Deus. E esta experiência somente ocorre pela ação graciosa e soberana de Deus. Somente pessoas transformadas pela graça de Deus podem falar dessa graça a outros pecadores.
“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações”. Antes de fazer, é preciso ser discípulo de Cristo. O verdadeiro discipulado não começa fazendo discípulos, mas, primeiramente, sendo discípulo de Cristo. E, certamente, isto faz toda a diferença.

Ser discípulo de Jesus começa com a conversão a Deus, ou seja, o pecador, convencido dos seus pecados pela ação do Espírito Santo, arrependido, volta-se para Deus e torna-se uma nova criação em Cristo. “Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas” (2Co 5.17). A conversão a Deus é um ato, mas, ser discípulo de Jesus começa na volta a Deus e continua até que Cristo volte ou, até que ele entra no paraíso.

Ser discípulo de Cristo implica amar a Deus. “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo, de toda a sua alma e de todas as suas forças” (Dt 6.5) e, também, amar o próximo. “Mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo” (Lv 19.18). São mandamentos bíblicos a todo discípulo de Cristo.

Ser discípulo de Cristo capacita a fazer discípulos para Cristo. Capacita a cumprir a grande comissão com alegria, dedicação e gratidão a Deus. O Senhor, em Sua graça e poder, concede a força e a motivação para viver como discípulo neste mundo e ir ao mundo para anunciar as boas novas de salvação a todo pecador.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. José Paulo Brocco (Pastor na 1ª IPC de São Paulo)