“Discípulo de Cristo (7)”
18 de fevereiro de 2020
“Qual é a sua dívida?”
20 de fevereiro de 2020

“Deus restringe o mal na terra”

“Como está escrito: Não há justo, nem um sequer, 11 não há quem entenda, não há quem busque a Deus; 12 todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. 13 A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios, 14 a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; 15 são os seus pés velozes para derramar sangue, 16 nos seus caminhos, há destruição e miséria; 17 desconheceram o caminho da paz. 18 Não há temor de Deus diante de seus olhos” (Rm 3.10-18)

A providência especial de Deus restringe o mal na terra e isto é um fato. O que mais me assombra é que as coisas poderiam ser bem piores se o Senhor não tivesse misericórdia dos seus eleitos que vivem aqui.

Fico imaginando como será no inferno, quando o Terrível Senhor atormentará com males horríveis todos os réprobos e demônios. Males antes inimagináveis, que nem o pior mostro que já viveu aqui pensou em executar.

Se há tanto mal neste mundo mesmo com os eleitos vivendo nele, imaginem um lugar onde os santos do Senhor não estarão lá. Lugar terrível.
Quem escapará deste lugar quando estiver lá? Não há como escapar!

Os demônios que falaram com o Senhor lá em Gadara reconheceram quem era o Terrível Verdugo. Pediram ao Senhor Jesus que não os atormentassem naquele momento, mas que fossem enviados para os porcos.

O Senhor veio como Servo Sofredor cumprir a Lei e para morrer pelos seus eleitos. Adquiriu a justiça que há na Lei e imputou aos seus santos, a maldição que os eleitos de Deus mereciam por causa de seus pecados, foram transferidas para o Senhor na cruz. O Pai aceitou o sacrifício, e é Justo e Justificador daquele que tem fé em Jesus.

O Senhor virá de novo a este mundo, todavia não como Servo Sofredor e sim como Verdugo do mundo e dos demônios.
Quem duvida, verá!

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Jaziel Cunha (Pastor na IPC da Grande Recife)