“Deus não abandona seus filhos”

“Você se acha um Cristão?”
13 de julho de 2019
“Caminhando com Deus em meio ao Sofrimento”
15 de julho de 2019

“Deus não abandona seus filhos”

“Pois não desprezou, nem abominou a dor do aflito, nem ocultou dele o rosto, mas o ouviu, quando lhe gritou por socorro” (Salmo 22.24)

O Salmo 22 começa com aquelas famosas palavras que seriam pronunciadas por Jesus, na cruz, muito tempo depois: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” É possível que você já tenha, ou esteja agora, se sentindo assim. Desemprego, enfermidade ou perda de um ente querido podem nos trazer dor tão intensa a ponto de nos sentirmos desamparados por Deus. No entanto, no versículo 22 o salmista declara que cantará louvores a Deus; no 23 convoca os que temem a Deus a fazer o mesmo. Por que? Porque Deus “não desprezou, nem abominou a dor do aflito”.

Isto expressa a crença de que as orações foram ouvidas. Deus não escondeu seu rosto, isto é, Ele não abandonou completamente, ainda que por um momento parecesse ter abandonado. Aquilo porque passou o salmista foi uma escuridão temporária, sucedida pelas claras manifestações do favor divino. O Senhor ouviu sua oração; Ele mostrou que não o havia abandonado totalmente.

Assim foi com Cristo na cruz: embora a escuridão parecesse continuar até a morte, não foi um abandono total. Sua oração foi ouvida, sua obra foi aceita e o grande objetivo pelo qual ele veio ao mundo foi realizado. Ele mesmo se levantaria triunfantemente de seus sofrimentos e o objetivo pelo qual morreu finalmente prevaleceria no mundo.

Não importa o tamanho da sua dor hoje, Deus não abandona seus filhos. Jesus Cristo é prova incontestável disto.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Welerson Alves Duarte