“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”

“Investimento para a alma”
5 de dezembro de 2019
“Agindo com sabedoria diante das dificuldades da vida”
7 de dezembro de 2019

“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”

Certa vez os fariseus e os herodianos se aproximaram do Senhor Jesus e fizeram uma pergunta que mais parecia uma armadilha. A pergunta era: “Mestre, sabemos que és verdadeiro e não te importas com quem quer que seja, porque não olhas a aparência dos homens; antes, segundo a verdade, ensinas o caminho de Deus; é lícito pagar tributo a César ou não? Devemos ou não devemos pagar?” (Mc. 12.45).

A intenção por trás da pergunta era colocar o Senhor Jesus numa situação constrangedora e embaraçosa. Se ele respondesse que sim, é lícito pagar o tributo a César; a multidão ficaria contra ele por ser um suposto apoiador do império romano, do qual todo judeu odiava. Mas se Jesus dissesse que não é licito pagar imposto a César, certamente seria acusado de rebelião perante as autoridades romanas.

Nesse momento, o Senhor Jesus, sabiamente, manda trazerem um moeda com a imagem de César afirmando que era dever deles dar a Cesar o que é de César, mas sem se esquecer de dar a Deus o que é de Deus. Jesus ensina que todo o cristão é um cidadão da terra e um cidadão do céu. Como cidadão da terra, é nosso dever respeitar as autoridades, cumprir nossos os deveres, obedecer as leis e pagar os tributos. Como cidadãos do céu, é nosso dever reconhecer a autoridade, o poder e a grandeza de Deus, o Grande Rei, digno de toda honra, glória e adoração. Ele é o Senhor nos céus e na terra, e enquanto as leis humanas não ofenderem as leis divinas, é nosso dever respeitá-las. Paulo nos ensina em Romanos 13 que toda autoridade civil procede da autoridade de Deus.

A verdadeira espiritualidade transcende as portas do templo e ultrapassava e o moralismo religioso. A verdadeira espiritualidade abre os nossos olhos para compreender que todos os elementos organizacionais da criação foram estabelecidos por Deus. Sendo assim, enquanto olhamos para o Reino Celestial vindouro, devemos ser bênçãos nas mãos de Deus no reino humano, seja na cultura, na política, nas artes e em tudo o mais. Pensando assim, vamos dar a César o que é de César; e a Deus, o que é de Deus.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. RICARDO S. ALVES (IPC de Palmares Paulista – SP)