“Cristo, a base da nossa esperança”

“Cultivando a Fé (1)”
25 de julho de 2019
“Separados do mal”
27 de julho de 2019

“Cristo, a base da nossa esperança”

“Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pelo mandato de Deus, nosso Salvador, e de Cristo Jesus, nossa esperança” (Tm 1.1)

Vivemos em dias em que as pessoas não alimentam muitas esperanças, aliás, há quem defenda que o sistema está falido. Existe descrédito em relação aos nossos governantes, a justiça e também entre as pessoas. Como sonhar com dias melhores diante de tal situação? A esperança é o sentimento que nos leva a sonhar, é o combustível que mantém acesa a nossa expectativa.

O apostolo Paulo destaca no texto lido três títulos interligados nos quais ele fundamenta a base de nossa esperança.

1) Senhor- Deste termo podemos extrair a certeza de que ele detém o controle da nossa vida.
Partirei do pressuposto de que está claro para os amados leitores de que Cristo é a segunda pessoa da trindade e, portanto, Deus em essência e poder. Desta maneira ele detém o controle absoluto sobre nós. Um aspecto de relevância é que o fato de o reconhecermos como o Senhor da nossa vida não nos diminui como pessoa conforme acusam os céticos, pelo contrário, isso nos faz descansar o coração na certeza de que o Senhor de todas as coisas preocupa-se conosco e com os anseios do nosso coração.

2) Jesus – Este nome tem a seguinte conotação: “ele certamente salvará”.
Nele encontramos a esperança, a salvação para nossa alma cansada. Quanto a isto, o próprio Jesus nos desafia: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” Mt 11.28. Não me refiro aqui meramente ao estresse do dia-a-dia, mas daquela situação em que as dificuldades do cotidiano te empurram para uma angustia tal, que você é levado a pensar que Deus te abandonou e, que por esta razão, não existe mais razão para viver. Portanto, este nome assegura aos que creem, provisões para o presente e vida eterna para o futuro.

3) Cristo – (Ungido) Aquele foi qualificado pelo Pai para levar a bom termo a tarefa de salvar o pecador.
Ele é o redentor, sendo conduzidos por ele não existe possibilidade de perecermos. É em Cristo que concentra a esperança da vida eterna por ser ele o único mediador. Por meio dele esta esperança tem uma conotação subjetiva e objetiva. Subjetiva por estar relacionada com a expectação de bênçãos espirituais e objetiva, pela própria realidade esperada. Cristo é a própria subsistência e o alicerce da esperança.

Deus quer por meio do seu bendito filho ministrar esperança em teu coração. Abandone o orgulho, o medo, as incertezas e deposite nele toda a sua angústia e ansiedade, na certeza de que ele pode preencher o teu vazio de tua ala e mudar a tua sorte.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Pastor Givaldo Santana