“Criando nossos filhos no temor do Senhor”

“A importância de ser e ter amigo de verdade”
28 de novembro de 2019
“Seja um bom estrategista”
30 de novembro de 2019

“Criando nossos filhos no temor do Senhor”

Há muitos livros, palestras e manuais que se propõem a nos ensinarem como criar nossos filhos no temor do Senhor. Será que existe uma metodologia infalível? Será que o grande trabalho de ensinar nossos filhos a amar a Deus pode ser aprendido seguindo alguns passos e estratégias?

Essa pergunta encontra sua resposta no livro de Deuteronômio 6. Nesse capítulo, Moisés orienta o povo de Israel a guardar os mandamentos, estatutos e juízos do Senhor, fazendo deles uma herança a ser transmitida as futuras gerações. Nesse contexto, encontramos duas exortações basilares: A primeira delas é que não há outro Deus como o Senhor de Israel. Somente o Senhor é Deus e digno de ser adorado e reconhecido. A segunda exortação é que devemos amar o Senhor com todo o nosso coração, força e mente. Tendo essas duas exortações em mente, Moisés segue dizendo nos versos 7-9 diz: “Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te será por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas”.

Em outras palavras, a formação espiritual dos nossos filhos não se dá apenas aos domingos na Escola Dominical e Culto Solene. Também não é algo que deva ser feito apenas nos momentos de devocional familiar. Moisés afirma com todas as palavras que é dever dos pais inculcar na mente dos seus filhos esses ensinamentos através da repetição, em todas as ocasiões e circunstâncias. Só há uma forma de fazer isso, usando a Palavra de Deus o fundamento que governa todas as nossas ações e pensamentos. Assim, as nossas palavras, os nossos exemplos e as nossas experiências apontarão para o fato de que vivemos o que cremos e que cremos no que vivemos.

Que ensinemos os nossos filhos que o fundamento da verdadeira religião começa pela compreensão de que não outro deus como o Senhor, pois isso os protegerá de seguirem os ídolos dos seus corações; e que é nosso chamado principal devotar o nosso amor mais profundo e sincero ao nosso Deus, amando-o com todo nosso coração, força e mente. Que façamos isso no levantar, no nosso andar e ao deitarmos. Que essas convicções que fundamentam a nossa religião sejam perceptíveis e claras aos nossos filhos, e assim as bênçãos do Senhor nos alcançarão, alcançarão os nossos filhos e os filhos dos nossos filhos. Feliz é a família cujo Deus é o Senhor.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. RICARDO S. ALVES (IPC de Palmares Paulista – SP)