“Conhecendo a Deus (7)”

“Com Cristo, em Cristo e nada mais”
5 de setembro de 2019
“A verdadeira salvação”(Parte 2)
7 de setembro de 2019

“Conhecendo a Deus (7)”

Deus é infinito. A infinitude “é a perfeição de Deus pela qual ele é isento de toda e qualquer limitação” (L. Berkhof).

Zofar disse a Jó a respeito da infinitude de Deus: “Você consegue perscrutar os mistérios de Deus? Pode sondar os limites do Todo-poderoso? São mais altos que os céus! O que você poderá fazer? São mais profundos que as profundezas! O que você poderá saber? Seu cumprimento é maior que a terra e a sua largura é maior que o mar” (Jó 11.7-9).

A mente humana jamais poderá compreender, plenamente, a infinitude de Deus. Nunca o homem terá o poder de conhecer a mente do Senhor Deus em toda Sua infinitude. Dizer que Deus é infinito significa que Ele não está condicionado às limitações do tempo ou do espaço. Deus é Deus e o homem é homem. Toda a criação de Deus não pode conter Deus ou, limitar o Seu poder. Deus disse a Jó: “Aquele que contende com o Todo-poderoso poderá repreendê-lo? Que responda a Deus aquele que o acusa” (Jó 40.2).

Deus é infinito. Portanto, não há limitação para Ele. Porém, o Senhor jamais faz qualquer coisa que não esteja em conformidade com a santa natureza. Deus nunca se contradiz.

O homem é finito e, por ser finito, ele está sujeito às suas próprias limitações. Por exemplo, o conhecimento que o homem tem é adquirido, o conhecimento de Deus é inato; Deus é onipresente e, por isso, sempre está presente em todo lugar ao mesmo tempo, o homem só pode estar presente em um único lugar em qualquer tempo.

Pensar em Deus como Ele se revela nas Escrituras Sagradas é difícil, pois há uma disposição da mente humana em pensar em Deus em termos da limitação humana. E isso certamente conduz a erros cruciais, como, por exemplo, pensar que Deus é semelhante a nós, humanos. Deus é Deus e o homem é homem.

A infinitude de Deus compreende o fato que Ele conhece todas as coisas, inclusive o homem na sua criação: “Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir” (Sl 130.6). Por ser finito o homem não conhece o seu começo e o seu fim, mas Deus, no Seu conhecimento infinito, conhece desde a eternidade o dia do nascimento e da morte do homem.

Deus é Deus e o homem é apenas homem.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Paulo Brocco