“Conhecendo a Deus (4)”

“Se Deus é por nós quem será contra nós?”
13 de agosto de 2019
“Em Deus está a minha esperança”
15 de agosto de 2019

“Conhecendo a Deus (4)”

O salmista Davi perguntou a Deus: “Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença”? (Sl 139.7). Certamente que ele não é o único a fazer essa pergunta. Seria possível fugir da presença do Senhor?

A onipresença de Deus pode nos assustar. É possível Deus estar presente em todo lugar e ao mesmo tempo? Um grande problema nosso é que não sabemos pensar em Deus como Ele é, pois, a nossa limitação nos leva a pensar Nele apenas em termos humanos. Esquecemos que somos meros mortais.

A onipresença de Deus pode ser assim definida: “Deus não tem tamanho nem dimensões espaciais e está presente em cada ponto do espaço com todo o seu ser; ele, porém, age de modos diversos em lugares diferentes” (Wayne Grudem).

O homem pode até mesmo ter o sentimento que Deus não vê e nem sabe tudo o que é feito. O ímpio parte da seguinte pressuposição: “Em sua presunção o ímpio não o busca; não há lugar para Deus em nenhum de seus planos” (Sl 10.4).

O justo, em tempos de aflições, pergunta: “Senhor, porque estás tão longe? Por que te escondes em tempos de angústia? (Sl 10.1).

Tanto o justo quanto o ímpio, em momentos de suas vidas, pensam que Deus não está presente. Todavia, há uma diferença significativa, pois, o justo, por um momento, olha para si mesmo e deixa de olhar para Deus. Pode ser um momento de fraqueza na fé. O justo vive esta experiência: “Tu, Senhor, ouves a súplica dos necessitados; tu os reanimas e atendes ao seu clamor” (Sl 10.17). Diferente, o ímpio diz: “Porque o ímpio insulta a Deus, dizendo no seu íntimo: De nada me pedirás contas”! (Sl 14.13). Porém, os olhos do Senhor, em todo tempo, estão atentos a tudo o que o justo e o ímpio fazem.

Tentar viver como se Deus não existisse é apenas uma tentativa, com amargas consequências. Viver, sabendo que o Senhor vê tudo o que é feito, deve ser um modo de vida. Ao justo, isso não causa medo, pois ele sabe que Deus é justo. Todo justo deveria fazer esta oração: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno” (Sl 139.23-24).

Você crê que pode fugir da presença de Deus? Nunca esqueça: Ele vê todas as coisas.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. José Paulo Brocco