“Caminhando com Deus em meio ao Sofrimento”

“Deus não abandona seus filhos”
14 de julho de 2019
“Bem melhor ainda que todo o saber, é confiar que Deus sabe por mim”
16 de julho de 2019

“Caminhando com Deus em meio ao Sofrimento”

Talvez o maior erro que cometemos é o de pensar que Deus não conhece a nossa dor. É comum ter a imagem de Deus sentado num trono agindo de maneira aleatória, indiferente e até mesmo despreocupada. Quando acontece uma grande tragédia é comum nos perguntarmos: “Por que Deus permitiu? Por que não impediu?”.

Porém, as páginas das Escrituras nos revelam que não há nenhum ser vivo sobre a face da terra, seja do passado, do presente ou do futuro que tenha experimentado a dor e o sofrimento tão intimamente como o próprio Deus. A Bíblia relata a história do Grande e Majestoso Rei deixando o seu trono de Glória para colocar os seus pés sobre um mundo inteiramente contaminado pelo pecado.

Estar num ambiente contaminado pelo pecado já foi um grande sofrimento para o nosso Senhor Jesus, mas ser acusado, julgado e condenado pelas mãos de pecadores iníquos potencializou ainda mais o seu sofrimento.

Isso ainda não era tudo. A parte mais difícil estava por vir, e ela veio quando Deus creditou na conta de seu único e perfeito Filho todos os pecados de todos aqueles que foram escolhidos por ele na eternidade. Certamente o auge da dor e do sofrimento de nosso Senhor Jesus se deu quando o Deus Pai derramou de maneira profusa toda a sua ira, indignação e ódio contra o pecado a tal ponto de Jesus clamar: “Pai, por que me desamparastes?” De fato, nenhum sofrimento humano pode ser comparado ao sofrimento de Jesus naquela cruz.

A Palavra de Deus nos ensina que Jesus recebeu a nossa maldição para que nós pudéssemos receber a suas ricas bênçãos. Lembre-se, o nosso Deus além de conhecer o nosso sofrimento e dor, teve o cuidado amoroso de enviar seu Filho para restaurar a comunhão e reconstruir a ponte que nos separava do seu amor e graça. Cantemos e exaltemos o Senhor da vida.

Para finalizar, vejamos as palavras de Paulo em 2ª Coríntios 4.17-18 que afirma:“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós, eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.”

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Ricardo de Souza Alves