“De quem é a Culpa”
4 de maio de 2020
“Como é difícil ser como o Mestre!”
6 de maio de 2020

“Acho que não vou fazer mais nada!”

Em Colossenses 3:23 está escrito: “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens,”.

Não são poucas as vezes em que ficamos frustrados depois de realizarmos algum trabalho. Ficamos muito decepcionados depois de uma tarefa concluída. Muitas vezes esperamos o reconhecimento ou algum feedback pelo menos por causa disso que fizemos, e de preferência, positivo ou elogioso. Esperamos isso das pessoas. Ou algumas vezes, ou muitas vezes até. E infelizmente, se fazemos algum trabalho e 50 pessoas o veem, mas 49 nos elogiam e uma critica, ficamos mais chateados do que satisfeitos. Aquela crítica mexe mais do que os comentários positivos. E nos abatemos com isso.

Nossa frustração porque não nos reconhecem pelo que fazemos mostra que continuaremos infelizes enquanto estivermos fazendo as coisas para nós mesmos e não para Deus.
Entendo que precisamos parar e pensar no porquê de fazermos o que precisamos fazer. É importante que pensemos a respeito das nossas verdadeiras intenções e motivações.

O apóstolo Paulo falou aos cristãos de Colossos que eles deveriam ser melhores trabalhadores e profissionais que pudessem ser, pois nisso também honrariam o nome de Deus. Falou que era importante que fossem competentes e sérios na presença dos seus chefes e também longe das vistas deles. Recomendou que fizessem seu trabalho para agradar a Deus, e que isso os deixaria felizes.

A nossa motivação pra fazer qualquer coisa que temos de fazer tem de ser glorificar o nome de Deus com isso.

Entendo que precisamos parar e pensar no porquê de fazermos o que precisamos fazer porque se temos feito as coisas para nossa satisfação pessoal, para que fiquemos felizes e sejamos reconhecidos e para que ganhemos destaque, então isso é um pecado nosso. É importante que pensemos a respeito das nossas verdadeiras intenções e motivações porque se temos feito as coisas para nossa glória pessoal então não estamos interessados com a glória de Deus.

Entendo que tudo tem de ser para a glória do nome de Deus, pois não há o que seja para minha glória, e aquilo que eu faço para a glória de Deus. Entendo que até quando faço meu trabalho, cuido das minhas coisas pessoais, bem feito e de coração, também louvo a Deus com isso.

Que nosso trabalho, atividade, ou tarefa sejam dignos, e que a nossa maneira de realizar seja a mais digna também. Que façamos tudo de coração porque Deus só aceita o que é feito de bom coração e para Ele. E fazer de bom coração para Deus é fazer com coração quebrantado, contrito e sem vaidade e sem a ambição de receber glória para si.

Não louvamos ou servimos a Deus só dentro da igreja cantando, mas, também, trabalhando direito, levando a sério os estudos, cuidando da família, zelando da casa, sendo honestos, e por aí vai. Faça tudo que tem pra fazer pra servir a Deus!

Fazendo verdadeiramente com o desejo de servir e agradar a Deus você não ficará triste, na bronca ou decepcionado com as pessoas, mas ficará animado para seguir servindo ao Senhor entendendo que sua criação, sua vocação e eleição, e seu chamado são para viver para glorificar a Deus.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família.

Rev. Heli Donizete (Pastor da IPC de Prata – MG)