“A verdadeira salvação”(Parte 2)

“Conhecendo a Deus (7)”
6 de setembro de 2019
“Cuidado, também, com os mosquitos”
8 de setembro de 2019

“A verdadeira salvação”(Parte 2)

Na última devocional falamos sobre alguns testes que demonstram se uma pessoa foi verdadeiramente salva pelo Senhor. Falamos sobre o teste do reconhecimento do Senhor Jesus como o Filho de Deus, que desfruta da mesma natureza Soberana de Deus e que veio para nos salvar dos nossos pecados. Falamos, também, sobre o teste da obediência incondicional, amorosa e prazerosa aos mandamentos do nosso Pai. E, finalmente, falamos sobre o teste da perseverança dos cristãos que mesmo vivendo num mundo de hostilidades, angústias e lutas continuam firmes nos caminhos do Senhor.

O próximo teste é o teste do amor. 1 João 3.14 diz: “aquele que não ama permanece na morte.” João ensina que um dos efeitos do novo nascimento é a transformação da velha natureza corrompida pelo pecado em uma nova natureza regenerada. Para o novo convertido tudo se fez novo, especialmente o amor a Deus e ao próximo. Isso implica que ao experimentamos o novo nascimento, o Senhor Jesus nos capacita a cultivar o verdadeiro amor em dimensões profundas e verdadeiras.

Há também o teste do discernimento. João afirma na sua 1ª carta 4.6: “Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.” Ou seja, a verdadeira salvação nos capacita a distinguir a mentira da verdade. Nunca se esqueça de que boas intenções e sinceridade não são suficientes para ser aceitável a Deus. Precisamos discernir aquilo que agrada do que o que o desagrada e assim vivermos em obediência.

Finalmente temos o teste da verdadeira confissão dos nossos pecados. Só pode ver a glória de Deus quem sabe quão terrível é o seu pecado e o elevado preço que o Senhor Jesus pagou para que fôssemos perdoados. Por isso, não podemos tratar o pecado como algo corriqueiro e inofensivo. Infelizmente há muitos que se sentem confortáveis na prática dos seus delitos e isso não é um bom sinal. Lembre-se que a Palavra de Deus nos ensina que o salário do pecado é a morte e por esse motivo devemos lutar com todas as nossas forças para cultivar a verdadeira santificação, sem a qual ninguém verá a Deus.

Que o Senhor nos conceda a graça de experimentarmos o verdadeiro amor, discernir a sua santa, boa e perfeita vontade e confessarmos verdadeiramente os nossos pecados em espírito de arrependimento.

Que o Senhor Jesus conceda um ótimo dia a você e toda a sua família

Rev. Ricardo Alves