ARTIGOS E PUBLICAÇÕES

22 de junho de 2018

EM UMA IGREJA QUE ESTÁ EM BOA ORDEM SEUS MEMBROS SABEM VIVER E SABEM MORRER

Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. (2 Timóteo 4.7) O Apóstolo Paulo nos ensina muitas coisas em sua segunda carta a Timóteo. Ele nos encoraja a permanecer no amor por Cristo e na sã doutrina (2 Timóteo 1:1-2, 13-14). Exorta-nos a evitar as crenças e práticas ímpias e a fugir de qualquer coisa imoral (2 Timóteo 2:14-26). Paulo ensinou que no fim dos tempos haverá intensa perseguição e apostasia da fé cristã (2 Timóteo 3:1-17). O Apóstolo encerra com um apelo intenso para que os crentes permaneçam firmes na fé e terminem a corrida fortes (2 Timóteo 4:1-8). No texto em questão, Paulo nos ensina como viver e como morrer. Somos ensinados a viver, primeiramente, combatendo o bom combate. A vida cristã é frequentemente representada como uma guerra. Estamos o tempo todo lutando contra a carne, contra o mundo e contra o diabo. No capítulo 2, […]
22 de junho de 2018

COMO UM CASAL CRISTÃO TEM QUE SE PORTAR

Parte 1 de 2 Instruções sobre o mandato social. Teologia bíblica do cap. 3 da carta do Apostolo Pedro A conduta que Deus quer do homem e da mulher é manifesta nas Escrituras. O Senhor quer que tenhamos postura santa. Agostinho na sua obra A Predestinação dos Santos diz: Consideremos as palavras do Apóstolo e vejamos se nos escolheu antes da criação do mundo porque haveríamos de ser santos e irrepreensíveis ou para que o fôssemos. Diz ele: Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com toda a sorte de bênçãos espirituais, nos céus, em Cristo. Nele ele nos escolheu antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis. Portanto, não porque seríamos, mas para sermos. Assim, pois, isto é certo e evidente: seríamos santos e irrepreensíveis pelo fato de nos escolher, predestinando-nos para o sermos pela sua graça. (AGOSTINHO, 1999. p.61) […]
22 de junho de 2018

A IDEOLOGIA DE GÊNERO, ALGUMAS CONSIDERAÇÕES

O termo ideologia foi usado de forma marcante pelo filósofo francês Antoine Destutt de Tracy (1754-1836).  Este filósofo o empregou pela primeira vez em seu livro “Elementos de Ideologia” (1801) para designar o “estudo científico das ideias”. Destutt usou alguns métodos e teorias das ciências naturais (física e biologia) para compreender a origem e a formação das ideias (razão, vontade, percepção, moral, entre outras) a partir da observação do indivíduo em interação com o meio ambiente. Anos depois à publicação do livro de Destutt Tracy, o termo ideologia foi utilizado com outros significados. A “ideologia” passou a ser definida como um sistema de ideias, pensamentos e deduções de uma pessoa, de um grupo de indivíduos ou de uma época. Não é científico. A ideologia pode estar ligada a ações políticas, econômicas e sociais. Possui um sentido amplo e significa aquilo que seria ou é ideal. Foi o psicólogo e sexista […]
10 de maio de 2018

“A importância da ética na vida pessoal e familiar do crente na esfera da sexualidade, trabalho e descanso”

INTRODUÇÃO Alguém certa vez falou: O mundo não odeia religião, odeia o Cristianismo. Como consequência deste ódio, o mundo rejeita toda uma leitura dos fatos que esteja baseada numa ótica judaico-cristã. Todo dia no rádio, na televisão, na fala de um professor universitário, ou em qualquer outro veículo, vemos a tradição e a cosmovisão Teísta, Neo e Vetero-Testamentárias sendo ridicularizadas. Neste trabalho, iremos ver um pouco da cosmovisão judaico-cristã a respeito do sexo, do trabalho e do descanso. Nosso pressuposto é revelacional, cremos que o Sagrado entrou na história do homem e se deu a conhecer a ele. Cremos que as Escrituras Sagradas do AT e do NT é a revelação do Sagrado. Ele se relaciona com suas criaturas. Seu desejo de criá-las teve intenção e se caracteriza pelo desejo de relacionamento. O Sagrado quer que suas criaturas desempenhem, de forma correta, um relacionamento amoroso e complementar Ele e elas […]
10 de maio de 2018

“O caminho de vitória de uma Igreja em boa ordem” (Josué 10.28-43)

Como sabemos, a pastoral aprovada em nossa última reunião ordinária da Assembleia Geral teve como título “Colocando a Igreja em Boa Ordem”. No último número de nosso jornal, com base no texto de Êxodo 18.21, abordamos algumas das qualificações dos líderes que Deus usa para alcançar tal objetivo. Hoje, queremos falar a respeito do caminho de vitória desta Igreja que está sendo colocada em boa ordem tomando como base Josué. Todos sabemos que Josué foi o escolhido de Deus para fazer o povo herdar a terra prometida (Josué 1.6). Também sabemos que ele obteve sucesso nesta tarefa, conforme Deus lhe havia prometido. Porém, houve um caminho a ser seguido para que as vitórias alcançadas viessem. Josué e o povo venceram grandes e poderosas nações (Josué 23.9). Eles destruíram a fortificada Jericó, livraram os Gibeonitas da mão de cinco reis, venceram na sequência sete reis e também o grande exército que […]
10 de maio de 2018

Rev. Antônio Gonçalves de Oliveira

Uma palavra do Rev. Antônio Gonçalves de Oliveira contando um pouco de sua trajetória abençoada e toda conduzida pela providência divina. Suas tristezas, suas alegrias, seu ingresso no Seminário Presbiteriano Conservador, sua vida pessoal, etc, até 1999 quando se jubilou. Rev. Antônio, quando e onde o senhor nasceu? Nasci aos 5 dias do mês de julho de 1935 na cidade de Campo Grande/MS. Meus pais foram o senhor Eduardo José de Oliveira e a senhora Cecília Gonçalves de Oliveira. Todos os seus filhos foram esses: Davi, Lourival, Candelária, Heraldo, Maria de Lourdes, minha irmã gêmea que faleceu, Ricardo e Ronaldo. O senhor nasceu em Campo Grande/MS, mas ficou nessa cidade até sua ida para o Seminário? Não. Na época Campo Grande pertencia ao MT. Depois que minha mãe ficou viúva, nos mudamos para a casa da minha vó. Na verdade cresci na casa da minha avó Rosa em Coroados/SP. Foi […]
19 de abril de 2017

A REFORMA PROTESTANTE DO SÉCULO XVI E OS DESAFIOS DA IGREJA NO SÉCULO XXI

A REFORMA PROTESTANTE DO SÉCULO XVI  E OS DESAFIOS DA IGREJA NO SÉCULO XXI O termo “Reforma” é usado por historiadores e teólogos para se referir ao movimento da Europa ocidental no século XVI e teve início com expoentes como Martinho Lutero, Huldrych Zwinglio e João Calvino que promoveram a reforma moral, teológica e institucional da Igreja cristã nessa região. A reforma teve questões sociais, políticas e econômicas envolvidas. Existia um interesse por parte de muitos líderes políticos de viverem livres das imposições do papado. Contudo, esses teólogos e outros, combateram o paganismo e apostasia da igreja romana, trazendo a igreja cristã de volta as Escrituras. Os reformadores enfrentaram muitos desafios, como abandono da Escritura, indulgências, idolatria, domínio da igreja através do papado, misticismo e paganismo que imperava naqueles dias e outros. Podemos dizer em suam que a Igreja Romana defendia naqueles dias: 1) Somente a Escritura e a Tradição; […]
2 de março de 2017

O Que os Pais Cristãos Devem Saber sobre Batismo Infantil

John P. Sartelle Ritual Sem Realidade Estive na grande catedral em Cidade do México. Embora não fosse domingo, o edifício enorme estava cheio de gente. Duas filas, aparentemente sem fim, avançavam ao longo dos corredores principais do santuário espaçoso. Delas vinham um coro ininterrupto de vozes. Cada fila era formada por casais que levam seus filhos. Centenas de bebês competiam para ver quem podia chorar mais alto! Enquanto o coro infantil ecoava pelas paredes da catedral, um casal passava rapidamente diante de um bispo no final de cada corredor. O bispo dizia algumas palavras e borrifava água sobre o bebê. Então o casal andava novamente e dava lugar à orgulhosa família seguinte. Assim o processo continuou dia a dentro enquanto visitantes, religiosos, paroquianos e casais iam e vinham. A maioria de nós tem observado, por vezes, tipos semelhantes de cerimônias religiosas vazias. Um evento que deveria ter grande importância e […]
2 de março de 2017

O Crescimento da Igreja: Um desafio para nós

REVERENDO JOSÉ PAULO BROCCO (Presidente da Assembleia Geral da IPCB)   O crescimento numérico da igreja é algo desejado por todos nós. Queremos ver a igreja crescendo, ampliando suas tendas e tornando-se forte e influente na sociedade. É muito comum ouvirmos orações que expressam o desejo de crescimento numérico, mas, também e, principalmente, na “fé”. Entendo que não é errado orar assim; todavia, às vezes, soam apenas como formalidade e não um desejo real de crescimento, seja em números ou na fé. Por que isso? Temos saído para lançar a semente das boas novas de Deus para o mundo? A igreja tem crescido e se fortalecido na fé? Ouvimos também comentários como: está muito difícil evangelizar em nossos dias; as pessoas não querem ouvir a mensagem de Deus e outros comentários. Porém, desde a entrada do pecado no mundo, houve algum momento que fosse fácil evangelizar? Pensemos um pouco na […]
2 de março de 2017

O Deus que se revela predestina todas as coisas

Rev. Welerson Alves Duarte A palavra “predestinação” soa quase como um palavrão para alguns, como se referisse mesmo a uma heresia. No entanto, a palavra ocorre na Bíblia diversas vezes. Alguns defendem a tese de que a predestinação, ou eleição, está baseada na presciência de Deus, ou seja, por saber de antemão o que vai acontecer Deus então elege ou predestina. Porém, para se conhecer algo que vai acontecer é preciso que já esteja determinado que aquilo ocorrerá. Quem poderia estabelecer algo de antemão para que Deus viesse a conhecer? Só Deus pode. A predestinação é particularmente atribuída ao Pai nas Escrituras (João 6:37,64,65; 17:6,9; At 4:28; Rm 8:29-30; 9: 11-13; Ef 1:5,11; 1Ts 5:9) e se refere especialmente a indivíduos e não a grupos no que diz respeito a salvação (Mt 24:24; João 6:37,39,44-45,65; 15:16; 17:2; At 13:48; Rm 8:29-30; 11:5,7,11,16,22,24; Ef 1:4,11; Fp 4:3; 2Ts 2:13; 2Tm 1:9 […]
2 de março de 2017

Evangelização: O verdadeiro meio para o crescimento da Igreja

Rev. Sebastião M. Arruda Livra os que estão sendo levados para a morte, e salva os que cambaleiam indo para serem mortos. Se disseres: Não o soubemos, não perceberá aquele que pesa os corações? Não o saberá aquele que atenta para tua alma? E não pagará ele ao homem segundo as suas obras? (Pv 24:11,12) ... alguns ainda não têm conhecimento de Deus; isto digo para vergonha vossa  (I Cor 15:34b).   Ouve-se muito sobre crescimento da Igreja, sobre plano de expansão e sobre a volta de Cristo relacionada com a tarefa da evangelização. Sermões são pregados e livros são escritos sobre a importância da “paixão pelas almas” e assuntos do gênero. Essa é uma preocupação válida, e parece justo que ocupe o centro das discussões eclesiásticas. Afinal, a igreja é o verdadeiro agente do reino de Deus na terra e, como tal, deve preocupar-se com a expansão desse reino […]
2 de março de 2017

A Igreja Evangélica caminha rapidamente para o Paganismo!

A igreja evangélica do século XXI vive uma realidade distante do Evangelho, na sua maior parte! Ela não tem mais identidade certa, pode ser qualquer coisa, é uma “metamorfose ambulante”, utilizando do título de uma das músicas do Raul Seixas! Mas para ficar uma aplicação ainda mais adequada, teria que ser uma “metamorfose teológica”! O verdadeiro contraste entre as igrejas não é mais tradicional versus o contemporâneo, mas o bíblico contra o não bíblico.[1] Nunca cresceu tanto quanto nos últimos anos! É um crescimento positivo com impacto negativo na sociedade! O eterno é trocado pelos interesses temporais, imediatistas próprios da cultura pós moderna. Na realidade a igreja está adulterando com uma cultura pós crista! O misticismo, o paganismo fazem parte do cotidiano da igreja evangélica. Não existem mais demarcações claras entre o que é pregado na maior parte dos púlpitos daquilo que é defendido culturalmente! O contexto atual da igreja […]
2 de março de 2017

A IPCB e o dia da Bíblia

 Edival José Vieira             Cinqüenta e nove anos já se passaram desde sua fundação em 11 de fevereiro de 1940, e a nossa Igreja vem mantendo a sua marca de identidade denominacional: A Batalhar pela Fé uma vez dada aos Santos (Jd 3).        Mantém-se firmada na mesma coluna erigida pelos fundadores que, ao elaborarem a Constituição e Ordem, assim se expressaram com respeito às Escrituras Sagradas e à novel Igreja: A Igreja tem como princípio denominacional o reconhecimento de que a adoção rigorosa e a defesa intransigente das doutrinas reveladas nas Santas Escrituras e sistematizadas nos Símbolos de Fé por ela aceitos, constituem a base fundamental de toda a vida cristã, o motivo único e permanente de sua pregação e o caminho natural de conduzir o homem à salvação em Cristo (Introdução Geral de nossa Constituição e Ordem). A própria Bíblia afirma que há uma variedade de ministérios a serem […]
2 de março de 2017

Pena de Morte – Uma avaliação Teológica e Confessional

F. Solano Portela Neto*   Introdução A Pena de Morte é um assunto atual. A sua Validade é discutida em todos os setores da sociedade. À medida em que aumenta a incidência dos crimes violentos vemos alguns setores movimentando-se para que a Pena Capital seja instaurada em nosso sistema judiciário. Mas o que diz a Bíblia sobre este tema? Qual deve ser a posição do servo de Deus, perante assunto tão controvertido? Poderíamos começar o nosso exame fazendo uma ligeira verificação do que a Bíblia tem a dizer sobre crimes e punições.   Crimes e Punições na Palavra de Deus   Podemos aprender bastante com os princípios que norteavam o tratamento que a Bíblia dá aos crimes e punições. Vejamos, mesmo superficialmente, alguns destes princípios: Na Bíblia não existe a provisão para cadeias, nem como instrumento de punição nem como meio de reabilitação. A cadeia era apenas um local onde o criminoso era colocado até que se efetivasse o […]
2 de março de 2017

Firmados nas veredas antigas

“…Graça a vós e paz da parte daquele que é, e que era, e que há de vir…” (Ap. 1:4) Decorridos 73 anos em que o pendão da nossa querida igreja passou a tremular em nossa pátria, estamos hoje aqui, dando prosseguimento ao trabalho de nossos pais conservadores. Certamente passa por todos nós o sentimento de honra e de grande responsabilidade dar continuidade a história dessa amada Igreja. Diante de tão grande responsabilidade faz-se necessário refletirmos sobre o caminho que estamos trilhando. “Ponde-vos à margem no caminho e vede, perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho; andai por ele e achareis descanso para a vossa alma; mas eles dizem: Não andaremos” (Jeremias 6:16). Jeremias, arauto de Deus em sua geração, viveu numa época de grandes tribulações e tragédias. Uma época de crise política, moral e espiritual. A sua nação passava por uma grande apostasia. Ao invés de aderirem […]
2 de março de 2017

O CONCEITO DE ALIANÇA

Rev. Sebastião Machado Arruda O conceito de aliança ocupa um lugar de grande relevância,  permeando todo o ensinamento da Palavra de Deus, e muito dificilmente a Igreja lhe dará maior importância  do que aquela que na verdade ele merece. A compreensão correta do seu significado, abrangência  e praticidade produz uma tremenda influência na vida do homem, tanto no seu relacionamento com Deus como no relacionamento com a família  e com o cosmos. Assim, apenas para dar uma rápida idéia do seu valor, mencionamos algumas passagens bíblicas em que ele ocorre com  várias e significativas aplicações: Êxodo 24:7; 24:8; Levítico 2:13; Números 10:33; 25:12; Deuteronômio 9:15; 2 Crônicas 34:32; Isaías  54:10; Jeremias 33:20; 33:21; 33:25; Amós 1:9; Malaquias 2:10 e 3:1.   1.1. Gênesis 6:18 – A Primeira Ocorrência da Palavra “Aliança” (berît) “Contigo, porém, estabelecerei a minha aliança; entrarás na arca, tu e teus filhos, e tua mulher, e as […]
27 de fevereiro de 2017

Refletindo sobre os ideais de 1940

Reverendo João Alves dos Santos (reflexão sobre os 60 anos da IPCB comemorados em 2000) Sessenta anos após a organização da Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil, é oportuno refletir sobre alguns dos ideais de seus fundadores e de como esses foram ou não atingidos até o presente. Consideraremos primeiro os ideais que foram totalmente alcançados, depois alguns que foram parcialmente alcançados e, finalmente, aquilo que não foi alcançado. Para isso nos serviremos, como fonte, dos documentos dos primeiros anos, dentre os quais destacamos: 1) O Manifesto da Igreja Presbiteriana Conservadora de São Paulo às Igrejas Evangélicas do Brasil, de 18 de fevereiro de 1940 (publicado em O Presbiteriano Conservador, ano I, n.º 1, de 28 de março de 1940), em que ela explica as razões de seu desligamento, como 2ª Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo, da sua federação eclesiástica e apresenta a sua posição e propósitos perante o Protestantismo […]